Padrões de Relatórios de Sustentabilidade na China

Sustainability reporting standards in China

De um ponto de vista legal, os relatórios de sustentabilidade na China continuam sendo essencialmente voluntários. Apesar disso, existem diversos fatores que estão guiando os relatórios extra-financeiros no país, incluindo interesse público geral, práticas no exterior, assim como um certo grau de pressão do governo

Ambos os governos, central e local, publicaram uma série de documentos incentivando alguns negócios a publicarem relatórios de sustentabilidade. Empresas estrangeiras são bastante aconselhadas a levarem em conta a orientação voluntária do governo, já que isso pode fortalecer relações importantes dentro do país.

Separadamente, as bolsas de valores tem tido um papel importante promovendo formas de relatórios ambientais, sociais e de governança (ESG) na China, em alguns casos até fazendo certas divulgações serem obrigatórias para empresas listadas.

Para finalizar, as diretrizes GRI G4, internacionalmente reconhecidas, também estão sendo usadas na China por subsidiárias estrangeiras e empresas locais

    Orientação GB/T 36001-2015 sobre relatos de responsabilidade social: As normas GB são emitidas pela administração nacional de padronização. A GB/T 36001-2015 é uma norma voluntária que estabelece diretrizes gerais para organizações que desejam desenvolver e publicar um relatório de sustentabilidade. Ela apresenta princípios básicos de relatos, estabelece aspectos importantes do planejamento de relatórios, propõe passos para a compilação de relatórios, e sugere medidas com o objetivo de melhorar a credibilidade de um relatório. Essa norma é uma boa introdução ás expectativas do Governo Central, relacionadas à sustentabilidade, a organizações que desejam conduzir negócios na China.  Mais informações no www.chinesestandard.net site.

      Orientação ESG de reporte da Bolsa de Valores de Shanghai: De 2008 em diante, a Bolsa de Valores de Shanghai passou a exigir das empresas chinesas e estrangeiras listadas na bolsa, incluindo empresas financeiras e todas as empresas listadas no SSE Corporate Governance Index 240, que apresentem relatórios ESG. A divulgação de informação ambiental, em particular, se tornou mandatória para empresas do setor extrativista. A orientação sobre como fazer os relatórios continua sendo muito ampla no escopo.  Mais informações no site tion on the Sustainable Stock Exchanges Initiative .

        Orientação ESG de reporte da Bolsa de Valores de Shenzhen: As regras governando os relatórios ESG na Bolsa de Valores de Shenzhen são amplamente similares às encontradas em Shanghai, apesar de o conteúdo da orientação de relatos ser mais específico. Empresas devem relatar sobre a implementação da responsabilidade social, a relacionando à proteção de funcionários, impacto ambiental, qualidade dos produtos e relacionamento na comunidade. Empresas devem também relatar sobre o quão bem elas implementaram as instruções e razões para gaps, se houver algum.  Para finalizar, empresas devem relatar sobre quaisquer medidas tomadas para melhorias e o cronograma dessas. Mais informações no site da Shenzhen Stock Exchange.

          Orientação ESG de reporte da Bolsa de Valores de Hong Kong: Em 1 de Janeiro de 2016, o novo Manual de Relatórios ESG da Bolsa de Valores de Hong Kong (HKEx) entrou em vigor. De acordo com as novas regras, as empresas listadas devem relatar sobre provisões no modo “cumpra ou explique”, o que significa que ou eles relatam a informação ou relatam porque decidiram não fornecer a informação.  Além disso, também há divulgações recomendadas. O guia ESG contém uma parte ambiental e uma parte social; a dimensão de governança corporativa já está sendo abordada separadamente através do Código de Governança Corporativa da HKEx. As áreas dos temas sociais e ambientais envolvem tanto divulgações gerais como KPIs específicos. Até 1 de Janeiro de 2017, as divulgações ambientais continuam apenas como “recomendadas”, mas após esse prazo serão alteradas para o modo “cumpra ou explique”.  Mais informações no site da HKEx.

            Diretrizes de relatórios CASS-CSR 3.0:  As “Diretrizes para Relatórios Corporativos de Responsabilidade para Empresas Chinesas,” desenvolvidas pela Academia Chinesa de Ciências Sociais, são provavelmente, o padrão nacional mais popular para CSR e relatórios de sustentabilidade no setor corporativo da China. O objetivo dessas diretrizes é muito similar ao da GRI e como um resultado, as diretrizes CASS-CSR tem sido cada vez mais adaptadas às diretrizes GRI G4. De fato, conforme alguns relatos, as diretrizes GRI G4 são mais populares na China do que as diretrizes CASS-CSR 3.0, e empresas estrangeiras acostumadas com o modelo GRI geralmente acham que ele é suficiente para ser usado também nas subsidiárias chinesas. Mais informações sobre as diretrizes CASS-CSR 3.0 e GRI G4 estão no site da GRI.

            Para mais informações entre em contato com Mr. Tobias Knapp (Diretor de Gestão, BSD China) através do email t.knapp@bsdconsulting.com.